Igreja da Misericórdia de Tentúgal

“Fazer o Bem, sem olhar a quem”


A construção da Igreja da Misericórdia começou logo em 1583 e a obra foi entregue ao “imaginário” Tomé Velho da Lamarosa, que foi discípulo de João de Ruão na Escola Coimbrã, onde aprendeu a trabalhar a pedra.
A igreja é de traça renascentista e tem um pequeno adro em laje, bordejado por uma grade de ferro forjado já do sec. XVII. O adro está separado da via pública por dois degraus de pedra.
A fachada apresenta um bonito pórtico formado por um arco de volta perfeita com dois aros, sendo um decorado com motivos vegetalistas e outro com cabeças de anjo aladas. Ao nível das empostas Tomé Velho colocou duas imagens sobre mísulas e sob baldaquino, representando a cena da Anunciação. A entrada na igreja é enquadrada por duas colunas coríntias de fuste canelado, que sustentam o entablamento do pórtico. Acima deste, há um janelão ornado com aletas e motivos vegetalistas. Este janelão permite iluminar o interior da igreja e principalmente o Retábulo quinhentista da parede testeira. Junto da empena, Tomé Velho colocou uma escultura representando a “Mater Omnium”, que é o orago de todas as Misericórdias. Na fachada lateral esquerda foi adossada a “torre sineira”, com coruchéu revestido a azuleijo azul e branco, do sec. XVIII.
A igreja é de nave única e ampla, com cobertura de duas àguas e tem a zona do presbitério num plano sobrelevado. À entrada há uma pia para “àgua benta” em mármore e decorada com folhas de acanto. O coro alto está assente sobre um arco abatido, decorado com almofadas em alvenaria. Na parede do lado do evangelho há a Tribuna dos Mesários, de três vãos, divididos por duas colunas dóricas de fuste canelado, sobre podium. Do lado da epístola há um púlpito com bacia e escadaria em pedra e guarda em balaustrada de madeira. Ladeando o púlpito, duas janelas de iluminação e um nicho com porta de vidro, que guarda a imagem do Senhor da Cana Verde. A zona do presbitério está num plano sobrelevado e é servido por duas escadarias em pedra de declive suave. Por baixo do patamar do presbitério foi rasgado um nicho, onde Tomé Velho colocou uma Deposição no Túmulo, carregada de sentimento e onde está uma escultura em pedra de Jesus morto ladeado pelas Santas mulheres, João, José de Arimateia e Nicodemos.
Todo o trabalho escultórico da igreja é em calcáro, proveniente das pedreiras de Ançã e Portunhos e no Salão Nobre existem livros manuscritos, que nos informam dos pagamentos feitos a quem talhava a pedra, a transportava e esculpia. A 5 de Janeiro de 1950, o Dec. Lei nº 37728, classificou esta igreja como imóvel de interesse público.

Elaborado por Maria de Lurdes Santiago

Voltar à Instituição